Neste sábado (8), seguiremos com a vacinação contra a Covid-19, com o imunizante de Oxford/AstraZeneca, 1ª dose, atendendo ao grupo dos idosos a partir dos 60 anos e ampliaremos a imunização para as pessoas com cormorbidades a partir dos 50 anos.

A vacinação contempla ainda os cidadãos com síndrome de Down; gestantes e puérperas com comorbidades e ainda as pessoas com doenças renais crônicas em terapia de substituição renal, na faixa etária a partir dos 18 anos.

Quem pode se vacinar?

  • Idosos a partir de 60 anos;
  • Pessoas com Síndrome de Down, a partir dos 18 anos;
  • Pessoas com Doença Renal Crônica em Diálise, a partir dos 18 anos;
  • Gestante e Puérperas, com comorbidades, a partir de 18 anos;
  • Pessoas com comorbidades, a partir dos 50 anos.

Quais comorbidades podem se vacinar?

  • Pessoas com Diabetes Mellitus;
  • Hipertensão arterial (HA) estágio 3, HA estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidades;
  • Hipertensão resistente;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC);
  • Insuficiência renal;
  • Doenças cardiovasculares e cerebrovasculares;
  • Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de médula óssea;
  • Anemia falciforme;
  • Obesidade grau 3 (IMC maior ou igual a 40);
  • Demais indivíduos imunossuprimidos.

Continuamos com a 2ª dose da vacina de Oxford/AstraZeneca para quem tomou a 1 dose em janeiro e fevereiro.

Documentação:

• Para vacinar, é necessário apresentar documentos de identificação com foto, cartão de vacinação, comprovante de residência de Parnamirim, cadastro no RN+Vacina.

• Para as pessoas com comorbidades será exigida, além dessa documentação básica, a apresentação de laudo médico contendo a descrição da comorbidade com CID, especificando o tipo de medicamento o qual o paciente faz uso e CRM médico com validade de 6 meses, mais o exame médico. Lembrando que o laudo médico e o exame precisarão ser inseridos, antecipadamente da plataforma do RN+Vacina.

• Em relação aos usuários acompanhados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS), estes poderão ser vacinados utilizando-se dos prontuários dos mesmos nas próprias unidades.

• No caso da puérpera, também é necessário declaração de nascido vivo ou certidão de nascimento da criança. Já as pessoas com deficiência permanente precisam apenas comprovação através do cadastro do BPC.

• No caso de síndrome de down, basta o laudo médico confirmando a deficiência ou algum documento comprobatório que pode ser cartões de gratuidade no transporte público; documentos comprobatórios de atendimento em centros de reabilitação ou unidades especializadas; documento de identidade com indicação da deficiência ou outro documento oficial que comprove a síndrome.

CoronaVac

Estamos aguardando a chegada de novas doses da CoronaVac para dar seguimento ao cronograma.

Fonte ASCOM/PMP