Após invasão do capitólio, Trump pensa em se reconciliar

 

O atual Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, considera perdão presidencial a si mesmo, segundo o célebre Jornal The New York Times. Esta decisão vem como consequência do seu motim organizado ao Capitólio do Estados Unidos.

Sobre o motim:

O que muitas pessoas já devem saber é sobre este ‘motim’ organizado por Trump e, repudiado por muitos países do mundo. O evento organizado pelo bilionário estadunidense foi planejado desde a sua derrota eleitorais para o próximo mandato presidencial e, até agora não aceita por ele, que o levou a se manifestar nas redes sociais.

Consequências:

É de se esperar que tal evento completamente repudiável, tenha severas consequências, tanto para Trump, quanto para os apoiadores e manifestantes do evento. Tiveram então, muitas brincadeiras pela internet que ultrapassaram limites que ainda não existiam e, tiveram repercussões como: ” O Donald (Trump) já foi, só falta o Pateta (Bolsonaro) “. A brincadeira faz referência aos personagens da Disney.

 

Impactos na Política:

Muitos apoiadores políticos de Trump tiveram que se renunciar após a invasão dos manifestantes. Os primeiros, na verdade primeiras, foram as secretárias de Transporte, Elaine Chao, e de Educação, Betsy DeVos. Antes mesmo delas, assessores de Trump e chefe de gabinete de Melania já haviam se afastado.

 

Infiltração?

Alguns membros da segurança nacional dos EUA começaram a se questionar sobre a invasão ao Capitólio, e consideraram a possibilidade de infiltração na segurança do estabelecimento, aonde houveram muitas mortes e tirania.

 

 

Os detidos:

Como resultado de um dos eventos mais aterrorizantes da história dos EUA, foram mortas 4 pessoas e 52 presas.

 

 

 

Aqui é o seu lugar! notícias recentes e direto ao ponto, então nos siga nas redes sociais, @portalparnapop.

Gostou das informações?! Então, siga as redes sociais do @portalparnapop e compartilhe para mais pessoas ficarem sabendo.

 

Crédito Imagem: CNN Brasil

Postado por: Elias Freitas